O MUNDO ASSOMBRADO PELOS DEMÔNIOS

Diversos amigos e amigas me perguntaram o que eu achei do depoimento de Sérgio Moro, ontem, no Senado Federal.

Assisti todo o depoimento e depois fui a São Borja buscar minha filhinha, que fica comigo até segunda-feira.

Minha opinião não muda o contexto, sou um modesto evangélico em busca do encontro com Deus e da paz e da harmonia com minha filha e meus amigos. Mas o que assisti e tenho assistido é um espetáculo político-vexatório. É guerra de torcida, cada qual acredita no que quer. Argumentos consistentes são coisas do tempo de Ruy Barbosa.

Mas o depoimento de Moro no Senado, ontem, respondendo aos que me perguntaram, é o seguinte:

1 – Senadores fraquíssimos, abaixo da crítica, quase nas raias da mediocridade. Um show patético. Em certas ocasiões sequer acreditava no que estava ouvindo.

2 – Sem outra narrativa possível, Moro e os Procuradores apelaram para o absurdo camusiano e deu certo. Sugiro que leiam O MUNDO ASSOMBRADO PELOS DEMÔNIOS, DE Carl Sagan.

3 – Estou muito gripado e preciso dar atenção a minha filhinha, é tudo.

4 – Bom feriado a todos.

Comentar no Facebook

PP afunda o município por não ter propostas para mudar a matriz produtiva

Santiago tem suas relações socioeconômicas assentadas há 120 anos na mesma matriz produtivo/econômica. Diversas vezes já demonstrei que nosso município só sobrevive dos recursos gerados pelos servidores públicos, sejam estaduais, federais ou municipais. A participação do agronegócio é baixa e o setor primário gera a agricultura de subsistência. E fica nisso.

Dos governos do PP, o único que teve uma visão estratégica no sentido de alavancar o setor produtivo, criando um novo modelo, foi o caso de Braspelco, bem concebida por Chicão e as Malhas Karbaim no governo Cássio Peixoto.

Com o país assolado por uma profunda depressão econômica, fruto de uma crise mundial, o atual governo municipal não consegue dar respostas, mínimas que sejam, acerca da matriz econômica. Isso explica a grande quantidade de pessoas desempregadas em Santiago, a miséria que assola nossos bairros mais humildes, a fome ronda os lares dos menores e menos assistidos.

O governo municipal, liderado pelo PP, não soube preparar o município para a crise. Thiago Lacerda investe numa linha absolutamente errada, pois apenas incentiva ensaios comerciais. E aqui reside o maior erro do PP. O comércio local é bem especulado dado aos recursos injetados na economia municipal pelas folhas dos servidores. Entretanto, o comércio gera poucos empregos e vivemos uma rotatividade muito grande de mão-de-obra, onde verdadeiro emprega e desemprega.

Santiago tem abundante matéria-prima: carnes, grãos, couro, lãs…Um enorme potencial para a fruticultura, no entanto, nunca conseguiu viabilizar uma cadeia produtiva consistente e duradoura.

O governo Thiago Lacerda é absolutamente inoperante e incompetente para mexer na matriz produtiva do município, que é polo regional e poderia modificar as relações em toda a região.

No entanto, afora os factoides, de concreto, nada. Nas vilas, grassa a desencanto, a desilusão, a miséria e a fome. Sem trabalho, sem perspectivas, vivendo na indignidade, somos todos assolados pelos problemas sociais reflexos da economia pauperizada e de um governo municipal que até hoje não deu respostas no campo da reversão do setor agroindustrial.

No próximo ano teremos eleição e o fim do governo de Thiago Lacerda, que até agora não apresentou nenhuma inovação no sentido de mudar a matriz produtiva arcaica, que há mais de um século atrasa nossa região e tranca as perspectivas do desenvolvimento associado: científico e tecnológico.

Nunca a miséria foi tão grande nos setores pobres de nossa sociedade. E – no fundo – somos todos impotentes para intervir no eixo econômico e mudar a matriz produtiva. Nem a Universidade local e nem poder público é capaz, sequer, de organizar um seminário para traçar as bases de uma inovação transformadora em nossa economia.

Comentar no Facebook

Uma rádio é uma concessão pública

Em Santiago, os donos de rádios, até agora não entenderam que rádios são uma concessão pública e não um bem particular.

Em sendo uma concessão pública, a emissora não pode ser aparelhada por um grupo familiar ou por um grupo político partidário. A concepção de uma concessão é a abertura a todas as manifestações de ideias da sociedade.

Como o caso foi longe demais e insistem no radicalismo, creio que chegou a hora de levar o assunto aos canais competentes, em Brasília.

Comentar no Facebook

Minha filhinha

Hoje, deixei minha filhinha na Escola em São Borja. Almoçamos juntos e logo a seguir levei-a até o colégio onde estuda.

É muito estranho. Quando nos separamos, ela tinha 4 anos. Hoje, tem 9 e eu ainda não me acostumei. Deixei-a no colégio, mantive as aparências e, ao entrar no carro, debulhei-me em lágrimas.

Continue lendo “Minha filhinha”

Comentar no Facebook

Faleceu o Poeta Oracy Dornelles

Faleceu em Santiago o poeta Oracy Dornelles. Autor de vários livros de poesias, Oracy era expert em micro-pinturas. tendo realizado desenhos em grãos de arroz, cabeça de alfinete e até em fio de cabelo.

Satírico, inventou o circo de pulgas, que lhe rendeu curiosidade mundial.

Eu fui co-autor do LIVRO “O QUE IMPORTA EM ORACY”, juntamente com a Fátima Friedrichewiski e o Froilam Oliveira.

Profundo conhecedor de Filosofia, Oracy dominava muito a Cabala e era dono de uma das maiores bibliotecas de Santiago, especialmente pela qualidade das obras.

Era um iniciado, certamente, um dos maiores intelectuais de Santiago. Crítico áspero, tenaz e caricaturista, sendo que num dos seus livros fez duas homenagens a mãe da Nina e uma a mim.

Perdemos um gênio. Santiago está cheia de suas esculturas, da pirâmide na frente da Prefeitura a ave de duas cabeças em cima do tanque de guerra, na praça do QG.

Oracy será velado no salão de atos da URI.

Nesse momento, seu filho Ramatiz Amon já chegou em Santiago e acompanha todos os rituais iniciais da cerimônia fúnebre.

Descanse em paz nosso Eterno Poeta.

UM velho recorde de jornal.

Comentar no Facebook