Desenho anatômico do pior governo da história de Santiago

Sharing is caring!

Sem a menor sombra de dúvidas, Tiago Lacerda é o pior prefeito da história de Santiago.

Primeiro, não faz nada e governa em cima de factóides.

Segundo, não deu um passo no sentido de mudar a velha matriz econômica de Santiago. Grassa o desemprego e a miséria nas vilas. Não houve intervenção no eixo econômico, não houve política de atrativos industriais.

Terceiro, os retrocessos na área da saúde são assombrosos; dependentes de recursos federais, quando estes falharam, faltam até medicamentos básicos. O fechamento do Pronto Atendimento é o retrato mais fidedigno que não se têm propostas sérias para equacionar o caos que virou a saúde em Santiago, e nem estou falando na ambulancioterapia.

Quarto, a educação infantil passa por um caos, com turmas superlotadas e demandas que superam as ofertas.

Quinto, não cumpriu a promessa das 60 casas populares no primeiro ano de governo. Fala em fazer 300 casas, num lote que já era da prefeitura, nas proximidades da Bonatto. Porém, não apresentou, até hoje, nem mesmo para a imprensa bajuladora, o tal contrato que diz ter firmado. Enquanto isso, levantamentos preliminares dão conta que o déficit habitacional em Santiago chega a 3 mil residências.

Resumo: política de lixo na educação, na saúde, na habitação e na geração de empregos e rendas, onde nada fizeram para captar investimentos e atrair fábricas capazes de gerar empregos e rendas e rendimento subjacentes.

Com esse déficit social de geração de rendas e empregos, bem como falta de moradia, os problemas sociais se avolumam, com demandas nos bairros que envolvem desde a questão da segurança pública até a ausência de infra-estrutura urbana.

Santiago é como aquela virgem deflorada que pratica sexo anal para manter o hímen intacto no casamento e mostrar o lençol ensanguentado para a parentela machista. Somos uma caricatura. Apenas pinturas, o comércio de tintas não está em crise, pinturas, lambuzos, aparências. Empreguismo, afora ser um governo totalitário que tenta calar a crítica usando os meios repressivos do Estado.

A crise com os servidores (não os pelegos) tomou um vultou público com o caso dos motoristas. É um escândalo sem precedentes.

Nunca se viu isso na história de Santiago.

Tiago Lacerda está enterrando o PP, é um governo desatroso, não tem inovações, vivem da aparência publicitária, porque a realidade está nas vilas que detém 60% da população de Santiago. Hoje, as pessoas estão desesperadas por um emprego, vivem de cestas básicas, chega dar pena … um município rico, com um rebanho bovino que é 5 vezes a população do município, com um fartura de grãos, com uma abundância de matéria-prima e os mesmos mamadores de sempre, com suas família acomodadas, ignoram que estamos afundados na pior charneca social.

A fúria fiscalista, a única política visível do governo Tiago, está retratada nos índices de reajustes da coleta do lixo. Tirar do povo pobre e aumentar a miséria, para manter uma máquina pública cansada, emperrada, inoperante e falida internamento, porque – externamente – vivem de publicidade e factóides que retratam uma cidade irreal, melhor seria: surreal, porque um povo acrítico, sequer tem força de reclamar dos abusivos reajustes das contas de lixo. Bastaria uma ação judicial e tudo seria revisto, mas no império de pelegagem e no reino da bajulação, não sei quem sobrará para apagar a luz.

O pastor Cláudio vai ascender aos céus com seus discípulos, estará livre. Nós, que herdaremos o inferno, seguiremos lutando com satanás.

Eu sei esperar a hora. Sou da teoria de Vandré. Os anos me ensinaram a ser paciente.

Tenho dó de tanta miséria e saudades de uma Santiago alegre, sem mendigos e sem gente esmolando pelos guetos. Feliz foi Chicão, Deus o levou aos céus.

Santiago só sobrevive graças aos quartéis, aos servidores públicos e maravilhosa gestão do Hospital, onde ali tudo funciona perfeitamente e dá um grau de satisfação ao povo.  O resto, réquiem.

 

 

 

Comentar no Facebook

Deixe uma resposta