O Top Secret que vai as prévias contra o Deputado Heinze e que alega ter 30 prefeitos com ele

O nosso site vem à tona com toda a verdade sobre Antõnio Week, candidato à prévia do PP, que enfrentará Heinze.

Clique no site: http://acweck.com.br/

Antônio Weck é o grande operador da sociedade Antônio Vieira, ordem jesuítica da Unisinos; chega a operar nas entranhas das organização, mantendo segredo sobre as operações familiares dos cardeais da Ordem. Opera também com  a criação inúmeras empresas com os mais variados objetivos sociais, basta consultar a junta comercial do Estado do Rio Grande do Sul.

A incógnita é descobrir como criou espaço e campo dentro do PP, embora se saiba da mão da senadora Ana Amélia Lemos, agora o liame mais amplo, ainda  não está claro.

Antonio Claudemir Weck / Quadro Societário.com descubra o CNPJ, endereço e …

https://quadrosocietario.com/nome/antonio-claudemir-weck/

 

Saiba quem é Weck e tente descobrir porque a Unisinos quer interferir nas prévia do PP? Por mais que se negue, a Unisinos tem interesse no pleito, é algo irrevelável e não admitido pela Ordem.

 

1  – Dono da empresa A.C.Weck & Advogados Associados-Ss.

2 – Dono da empresa D S S (Dss Software Ltda – Epp).

3 – Dono da empresa Econoplan (Econoplan – Planejamentos Economicos Ltda).

4 – Dono da empresa Shelterit (Shelterit Seguranca Digital Tributaria S/A).

5 – Dono da empresa Acwx4 S.A. (Acw4X – Holding Patrimonial S.A.).

6 – Dono da empresa Instituto Ennoia (Ennoia Educacao Ltda).

Instituto Ennoia

Possui graduação em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(1994), especialização em Direito Civil pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(1996) e mestrado em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(2001). Atualmente é funcionário da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Filiou-se ao PP dia 28 de setembro de 2017 e já se declarou candidato ao governo do Estado, segundo informa https://www.martinbehrend.com.br

“O próximo dia 28 de setembro deve representar um marco na trajetória pessoal e profissional do advogado tributarista Antonio Claudemir Weck, 53 anos. Nesta data, está programada sua filiação ao Partido Progressista (PP) de Novo Hamburgo. Diversas lideranças progressistas foram convidadas a prestigiar o momento, entre elas a senadora Ana Amélia Lemos (PP).

Mas não é uma simples adesão a uma agremiação política. Ele mira outubro de 2018: Weck pretende se lançar como pré-candidato a governador pelo PP. “Sou conhecido por ter posicionamentos, pela minha personalidade forte e, principalmente, por ser um homem de ação. Acredito que possa contribuir para nosso Estado projetar seu futuro”, avalia.

Entre as sinalizações de apoio já recebidas, estão cerca de 30 prefeitos do PP pelo Estado, dois deputados estaduais – um deles é João Fischer, o Fixinha – e outras lideranças regionais. Em outubro de 2018, o PP deverá investir forte na reeleição de Ana Amélia para o Senado. Já para disputar o Palácio Piratini, a sigla ainda não sabe se buscará um novo nome, apostará em nome tradicional do partido ou se buscará compor alguma chapa. Weck quer ser o nome da renovação.

Natural de Porto Alegre, Antonio Weck tem grande relação com Novo Hamburgo. No passado, foi modelista técnico de calçados e ajustador mecânico em empresa do município. Atualmente, ele tem seu escritório de advocacia em prédio na Rua Bento Gonçalves, onde também está outra empresa que preside, na área de inteligência em soluções tecnológicas. Na juventude, militou no antigo MDB de Esteio.

A situação que mais angustia o advogado é a falta de perspectiva do país. “Estamos com muita retórica e pouca ação. Precisamos buscar nosso protagonismo, tanto Brasil como Rio Grande do Sul”, comenta. Na visão de Weck, a transformação passa por grandes investimentos na educação e na forma de ensino às novas gerações. “Essa qualificação é fundamental”, acrescenta.

Weck projeta que o próximo governador deverá ter a capacidade de preparar o Estado para o futuro. “Não vai adiantar fazer promessas. O governo não consegue nem pagar os salários em dia dos servidores. Nosso Estado precisará ter uma agenda mínima para que consigamos nos preparar para acelerar o desenvolvimento”, detalha. Ele acredita que a força do PP no interior pode fazer a diferença e vislumbra crescimento na Região Metropolitana, onde, por exemplo, a sigla tem o vice-prefeito de Porto Alegre, Gustavo Paim, e o prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal.

O advogado conta que escolheu PP por algumas linhas programáticas, como uma visão mais liberal de lideranças da sigla, embora ele destaque que os próprios partidos precisem se adequar à realidade. Entre pontos que ele defende, está uma menor intervenção do Estado e menos assistencialismo. “Criaram um conceito de que o Estado precisa fazer tudo, oferecer tudo, gerenciar tudo. E, dessa forma, as pessoas não se consideram responsáveis por certas questões na sociedade”, reflete. “Precisamos dar mais independência à população e fazer menos assistencialismo”, resume.

Formado em Direito pela Unisinos, casado, pai de dois filhos e morador de Novo Hamburgo, Antonio Weck está na contagem regressiva para este novo desafio. Na sua caminhada será preparada uma cartilha com 11 compromissos da sua caminha político – mesmo número do partido. “Acredito na criação de uma agenda estável para garantir um futuro mais próspero para nosso Estado”, finaliza. Como se vê, a disputa pela sucessão do governador José Ivo Sartori (PMDB) está esquentando. E pode ter um candidato com alma hamburguense no páreo”.

 

Este é um lado do PP praticamente desconhecido em nossa região.

Comentar no Facebook

Poder Judiciário suspendeu a eleição no Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santiago

Vistos. Sérgio Marion Oliveira do Amaral ajuizou a presente ação objetivando em sede de tutela provisória a suspensão do Processo Eleitoral de Eleição dos Membros Diretores do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santiago/RS.

Alega, em síntese, que no dia 05/02/2018 às 14h46min, requereu a inscrição da sua chapa para eleições de escolha dos membros da Diretoria, entretanto, a parte requerida não recebeu a solicitação de registro da chapa sob alegação de que o prazo havia se encerrado no dia 03/02/2018 às 17h30min.

Acrescentou que apresentou defesa que não foi aceita pela comissão. Com a inicial, acostou documentos (fls. 02/07 e 12/41). É o breve relato. Decido. 1- Defiro o benefício da AJG ao autor. 2- Assiste razão ao autor, tendo como base legal os artigos 55,56 e 57 §2° do Estatuto Social do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santiago os quais dispõem que: Art. 55: As eleições do SSPMS- Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santiago são convocados pelo Presidente do Sindicato, por edital, com antecedência máxima de 60 (sessenta) e mínima de 30 (trinta) dias, em relação à data inicial das eleições. § 1º-Do Edital de convocação constará: 1) Datas, horários e locais de votação; 2) Prazo para registro de chapas e horários de funcionamento da secretaria; 3) Prazo para impugnação de candidaturas; 4) Datas, horários e locais da segunda votação, caso não seja atingido o quorum na primeira, bem como a data de nova eleição, em caso de empate entre as chapas mais votadas. § 2º- O aviso resumido do edital de convocação deverá ser publicado pelo menos uma vez, em jornal de circulação na sede da base territorial ou será dado a conhecimento público pelo menos de divulgação disponíveis, e afixados na sede do Sindicato, dele constando: 1- O nome da entidade; 2- O prazo para registro das chapas, que será efetuado dentro do horário normal de funcionamento da secretaria, 3- Data, horário e local da votação; Art. 56º –

 

O prazo para registro de chapas é de 15 (quinze) dias a constar da publicação do aviso resumido do edital de convocação, excluindo-se o dia da publicação. Parágrafo único- Os requerimentos de inscrição da chapa deverão ser instruídos com a seguinte documentação: a) Qualificação dos candidatos, com suas respectivas assinaturas, contendo tempo de sindicalização, número da carteira profissional e da carteira de identidade ou da carteira de estrangeiro; b) Declaração de residência; c) Comprovação da vinculação empregatícia na base territorial do Sindicato. Art. 57º: O registro de chapas far-se-á, exclusivamente, na sede do Sindicato que fornecerá recibo da documentação apresentada e dará a cada candidato individualmente, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, a empresa empregadora, o dia e hora do registro da candidatura. §1º- Verificando-se irregularidade ou falta na documentação apresentada, o Presidente notificará por escrito, ao associado que requereu o registro da chapa, declinando os motivos, contra recibo, para que promova a regularização, ou substituição do candidato no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, sob pena de recusa do registro do (s) associado (s) que apresentou a irregularidade ou falta de documentação. § 2º As chapas que não tiveram suas inscrições homologadas ou que receberam impugnadas terão prazo de 48 horas para querendo apresentar defesa escrita dirigida à Comissão Eleitoral, protocolada na sede do Sindicato em horário de expediente”.

 

Neste norte, a concessão da tutela antecipada exige a presença dos requisitos elencados no art. 300 do Novo Código de Processo Civil, entre eles, a probabilidade do direito e o perigo do dano ou o risco ao resultado útil do processo. A probabilidade do direito está elencada pelos documentos juntados aos autos, que demonstram que o autor ingressou dentro do prazo previsto por lei, para concorrer as eleições na escolha dos membros da diretoria, conforme artigos citados acima. Destaco, como grifado no artigo 55, § 2º, 2, que o prazo para registro das chapas será efetuado dentro do horário normal de funcionamento da secretaria. Como o último dia do prazo ocorreu em sábado, cabível o deferimento parcial do pedido liminar.

 

Diante disso, defiro a liminar pleiteada, determinando a suspensão do Processo Eleitoral de Eleição dos Membros Diretores do Sindicato dos Servidores Públicos de Santiago/RS. Intime-se a parte requerida para que informe se no dia 03/02/2018 havia expediente no local, tendo em vista que na referida data era sábado, pois, se não houve expediente no referido dia, o prazo deveria se encerrar na segunda-feira, dia 05/02/2018. Cite-se a parte ré para apresentar contestação, nos termos do artigo 336, do NCPC indicando expressamente as provas que pretende produzir e o interesse na composição consensual. A ausência de manifestação será considerada como desinteresse na autocomposição. Consigno que ambas as partes ficam intimadas que tanto em contestação como em réplica deverão especificar as provas que pretendem produzir, inclusive arrolando testemunhas, se entenderem, postulando e indicando a necessidade de prova pericial, uma vez que após a réplica será saneado o feito e já apreciados os pedidos acerca das provas a serem produzidas, inclusive com a audiência de instrução e julgamento, se for o caso, ou julgamento no estado em que se encontra. Dil. Legais.

Comentar no Facebook

Jair Bolsonaro se filia ao PSL para disputar o Planalto e é apoiado pela BBB – BANCADA DO BOI, DA BALA E DA BÍBLIA

Segundo a Folha de São Paulo, ele defende agenda liberal na economia e conservadora nos costumes.

Bolsonaro, mesmo sem querer, abre uma importante discussão em sociologia política: a morte dos partidos políticos.

Ele se filiou ao diminuto PSL e repete o caso Collor, com o PRN.

Esta história de que o candidato precisa ter bases partidárias, partido forte nos Estados, está morta e enterrada.

Já esteve com Collor e agora ganha a mesma dimensão com Bolsonaro.

É uma reflexão super-importante, que o Deputado Bianchini já fez e muitos seguem o mesmo caminho.

Estava na hora de avançarmos na legislação eleitoral e admitirmos as assim candidaturas avulsas, pois os candidatos precisam entrar para uma merda partidária qualquer por força da lei. Quando, na prática, os partidos políticos estão mortos.

O PSL tem um deputado federal e nenhum senador, segundo a Wikipédia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Partido_Social_Liberal

Ninguém me tira da cabeça que isso é um fenômeno espetacular. E bem diferente da TRUMP, que tinha, por trás, toda a estrutura do Partido Republicano.

O Brasileiro, a se analisar os índices elevadíssimos de aprovação nas Pesquisas no nome de Bolsonaro, rejeita partido, ou, se quiserem, está se lixando para partidos políticos.

Nossos cientistas políticos, uma legião de imbecis, ainda não atentaram para este fenômeno.

 


 

Impossível entender os evangélicos, que agem contra os ensinamentos divinos e de Cristo.

Comentar no Facebook

Santiago, terra de cegos, surdos e mudos

Eu tenho dito que o governo Tiago Gorski tem uma visão fiscalista de governar e uma fúria tributária.

Preparem-se. Os carnês de IPTU começam a serem distribuídos amanhã.

A inflação de 2017 foi de 2.95% e a correção do IPTU chegou a 9%, Três vezes mais o valor a inflação.

Já a taxa de coleta de lixo foi corrigida em valores entre 100 a 150%;

A exposição do staff da SEFAZ no Centro Empresarial foi patética. Ninguém reclamou. Como não têm vereadores em Santiago, ou os que têm questionam os atos dos executivo, está tudo em estado de miséria.

Nunca tinha visto isso na história da Santiago.

Mas, enfim, somos a terra dos poetas embriagados, cegos, surdos e mudos.

O Tiago deve ser um homem feliz, pois governar assim, sem oposição, com a imprensa ao lado, é um paraíso.

Comentar no Facebook

O julgamento do STJ

O julgamento do STJ, do HC do Lula, não foi um julgamento. O Tribunal entendeu que o STF tinha uma decisão de manter a prisão de condenados em segunda instância. O que, a rigor, é verdadeiro.

Agora, os entendimentos não são permanentes. O STF vai rever esta posição, que é sabidamente inconstitucional.

Aí os idiotas que ficaram comemorando em decisão judicial que não houve, vão entender como funcionam as instâncias recursais do poder judiciário brasileiro.

Comentar no Facebook

Fernanda Lemes pede exoneração do PROCON e Secretária Denise Flório segue o mesmo caminho

A jovem advogada santiaguense Fernanda Lemes pediu exoneração de coordenadora do PROCON local.

Segundo informações, ela vai se dedicar a advogacia.

Filha do famoso casal João Lemes e Suzana, a jovem vai alçar outro voos.

Santiago perde uma talentosa a competente profissional, mas os valores pagos são mesmo muito baixos.

Já a demissão da secretária pegou a todos os analistas locais de surpresa.

Corre a notícia de que Mara Rebelo também estaria demissionária, mas o ato oficial não foi publicado, persistindo a dúvida acerca de sua permanência a frente da secretária de educação.

Aguardemos os próximos desdobramentos.

Comentar no Facebook

Uma análise da candidatura Heinze

EU não tenho dúvidas de que Heinze será um estouro eleitoral em nossa região e regiões similares. O pessoal confia nele e ele próprio é uma pessoa trabalhadora, conhece a realidade local e é um político muito sério.

Se o PP escolher Heinze, é um candidato potencial e tem tudo para chegar ao segundo turno.

Não sei como o PP está em Porto Alegre e região metropolitana, mas com o peso da zona da mata, ele – certamente – chegam embolado no segundo turno. Na sua eventual chegada ao segundo turno, terá o apoio do PTB, PDT, PSDB, PSB e PMDB. Em outras palavras, é o nosso futuro governador.

O PT ficará apenas com PC do B e Maria do Rosário. As chances são muito reduzidas e o leque de alianças muito fechado. Nem sei se o PSOL apóia Rosseto.

A gente anda pela região e vê uma unanimidade em torno de Heinze.

Eu sou apenas um analista. Eu trabalhava para o Guilherme, é meu parceiro e irmão, mas eu via a vitórias nas mãos Tiago. Aliás. nem o PP acreditava nas primeiras pesquisas que eu fazia e as simulações de Tiago com Cláudio Cardoso, em dezembro de 2015, dava 56%. O Tiago tem a cópia das pesquisas.

O mesmo raciocínio, sem paixões ideológicas, em vejo com a candidatura Heinze, hoje.

Cenários mudam. Tudo pode acontecer. Mas a tendência é Heinze crescer impulsionado pelo setor agrícola, pelo jovens que são bolsonaro, que também é uma febre.

Sei lá, analiso eleições há anos, mas nunca vi o PP tão perto do poder quanto agora.

Falo aqui sem paixões, sou esquerda, mas também sou cientista social e político e preciso separar minhas paixões da análise da realidade.

 

Comentar no Facebook

Mais um Ministro do STF sai em defesa de Lula

O ministro do STF Marco Aurélio Mello disse que seria “discriminação” da Corte não pautar a prisão de condenados na segunda instância por causa do ex-presidente Lula.

“Essa ótica pode ser invertida. Você não colocar em pauta tendo em conta o envolvimento dele não é discriminação? Você tem que colocar em pauta haja a repercussão que houver. Pautar não é nortear esse ato por envolvimento deste ou daquele cidadão. Processo pra mim não tem capa”, afirmou Marco Aurélio ao defender que o STF discuta em plenário o mérito das prisões em segunda instância.

A maioria dos ministros do Supremo vem manifestando que irá rever a execução imediata para condenados no segundo grau. Neste caso se enquadra o ex-presidente Lula, que foi sentenciado pelo TRF4 a 12 anos e um mês de prisão.

A declaração de Marco Aurélio se soma a do decano Celso Mello, que também cobrou hoje que a presidenta do STF, Carmén Lúcia, paute o tema no plenário imediatamente.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

 

A opinião deste Advogado é que Lula terá 7 dos 11 votos do STF a seu favor.  Assim será candidato tranquilamente e o próximo presidente do Brasil.

Comentar no Facebook

CELSO DE MELLO: no artigo 5º, que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória. É um retrocesso que se impõe em matéria de direito fundamental (a prisão antecipada), porque a Constituição está sendo reescrita de uma maneira que vai restringir o direito básico de qualquer pessoa. A Constituição exige o trânsito em julgado. As leis ordinárias exigem o trânsito em julgado. E há um limite, que é o limite semântico. Se a Constituição ou a lei diz trânsito em julgado, é transito em julgado, e não decisão de segundo grau que ainda não transitou em julgado.

Para desespero de muitos, o Ataulpho, da Academia das Letras, o ministro decano do STF, Celso de Mello, deu entrevista muito importante ao Globo:

Celso de Mello: a todo vapor para liberar primeiras ações da Lava-Jato

(…) A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, deu indícios de que não quer pautar no plenário o julgamento das ações sobre prisões de condenados em segunda instância. Para o senhor, o tribunal deveria julgar o assunto novamente?

Entendo que a ministra Cármen Lúcia terá a sensibilidade para compreender a necessidade de pautar no plenário o julgamento das duas ações diretas de constitucionalidade. Porque nelas vamos julgar em tese, de forma abstrata, questão envolvendo o direito fundamental de qualquer pessoa de ser presumida inocente.

O senhor mantém a convicção de que o réu tem direito a recorrer em liberdade até a última instância?

Eu ainda estou fiel à minha posição. É uma decisão que me preocupa como cidadão. A Constituição proclamou a presunção de inocência. Diz, no artigo 5º, que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória. É um retrocesso que se impõe em matéria de direito fundamental (a prisão antecipada), porque a Constituição está sendo reescrita de uma maneira que vai restringir o direito básico de qualquer pessoa. A Constituição exige o trânsito em julgado. As leis ordinárias exigem o trânsito em julgado. E há um limite, que é o limite semântico. Se a Constituição ou a lei diz trânsito em julgado, é transito em julgado, e não decisão de segundo grau que ainda não transitou em julgado.
Qual a vantagem que o senhor vê nesse modelo?

Tive aqui o processo de um réu de São Paulo que foi condenado em primeiro grau, recorreu ao Tribunal de Justiça e perdeu. O tribunal mandou executar a pena provisoriamente, com base nessa jurisprudência. Ele recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e foi absolvido. Mas ele cumpriu durante um certo período de tempo com rigor penitenciário essa pena. A mim me basta que um inocente seja submetido a essa esdrúxula execução provisória para que eu me mantenha fiel à minha posição.

No que o senhor acredita que vai dar o julgamento?

Eu não sei se prevalece o trânsito em julgado, porque precisamos de seis votos. Meu palpite é que vai acabar prevalecendo a posição intermediária, da possibilidade de execução da pena com a sentença confirmada pelo STJ.

Seria mais confortável para o STF ter decidido isso antes da condenação do ex-presidente Lula?

Sim, poderíamos ter decidido isso até 19 de dezembro do ano passado. De qualquer maneira, ainda é tempo. E acho importante que nós decidamos nas ações, porque foram ajuizadas antes que qualquer desses fatos notórios, dessas condenações que surgiram depois, tivessem ocorrido. Elas foram ajuizadas em relação a um princípio. A discussão é em abstrato, obrigatoriamente. É a tese, é o alcance do princípio constitucional.

O senhor acha que existe brecha para o STF mudar o entendimento sobre a Lei da Anistia?

Quando eu votei nesse caso, compus a corrente majoritária e entendi que a Lei da Anistia se tornou irrevogável. Mas entendo ser possível processar autores de crimes de sequestro praticados durante o regime militar, porque sequestro é um crime permanente. Isso significa que o momento consumativo do crime ocorreu quando já estava em vigor a Lei de Anistia. Mas está anistiado? Não. Porque crime permanente é consumado segundo a segundo, o momento consumativo dele se prolonga no tempo. As vítimas eram sequestradas, executadas e enterradas. Nesses casos, quando você não conseguiu libertar a vítima e não houve uma solução do caso, porque a vítima não apareceu, então o crime é permanente, ou seja, ele ainda está sendo cometido. Logo, ele ultrapassa o marco temporal da Lei da Anistia.

A Procuradoria-Geral da República pediu ao STF para reabrir um processo para discutir essa hipótese. Se a tese do senhor for vencedora, militares que cometeram esse crime específico na ditadura podem ser punidos?

Não só militares, mas civis associados à ditadura militar que comprovadamente tenham sido considerados autores de crimes de sequestro de vítimas ainda não localizadas são passíveis de punição penal.

Clik Política

Comentar no Facebook