As operações de crédito de Tiago Lacerda ignoram os bancos de fomento, opta direto pelo Banco do Brasil e despreza o BNDES e o BADESUL

Estou em mãos com o processo 004/2018, Projeto de lei 002/2018, que autoriza o poder executivo (Tiago Gorski) contratar operações de crédito com o Banco do Brasil e dá outras providências.

Poder executivo – Comissão de CCRJ para parecer.
Comissão de COF para parecer.

Operação de crédito junto ao Banco do Brasil até o valor de dois milhões e quinhentos mil reais.

Aquisição:
Uma escavadeira hidráulica.
Uma motoniveladora.
Um rolo compactador.
Um triturador de galhos.
Uma roçadeira hidráulica articulada.
Um caminhão truck com caçamba basculante.
Um caminhão para iluminação pública com cesto.
Um caminhão prancha.
Secretarias de obras e agricultura.

DATALHE: Duvido que que o Banco do Brasil tenha juros menores que os Bancos de fomento, cito o BADESUL e o BNDES,

Será que não tem ninguém nessa câmara de vereadores para cotejar essas taxas de juros?

Será que não tem ninguém na imprensa, no parlamento para questionar o porquê de o projeto já ter vindo empacotado pelo Banco do Brasil, ignorando os bancos de fomento?

Para que existe o BADESUL e o BNDES?

Doutor Júlio Garcia será nosso representante na reunião do Movimento Muda OAB

O advogado Júlio Garcia, santiaguense, ligado a subseção Santiago/Vale do Jaguari, que representa o Movimento Muda OAB-RS, que teve 23 advogados na última reunião nossa, aqui em Santiago, estará na quarta-feira, em Porto Alegre, reunido com os líderes estaduais para os preparativos da grande reunião de 18 de abril.

O Dr. Paulo Torelly me fez um convite pessoal, examinou com detalhes uma situação local e espero desmarcar alguns compromissos para poder estar em Porto Alegre com os colegas que formarão nossa chapa.

 

The Economist: Poder De Destruição Do Moro Arruinou A América Latina

A conservadoríssima e respeitada revista anglo-americana The Economist publica uma reportagem sobre a lamentável situação da infra-estrutura na América Latina.

Começa por mostrar que a Transnordestina do empresário Benjamin Steinbruck (que saiu da costela da privatifaria do Príncipe da Privataria) já consumiu R$ 6 bilhões, começou há dez anos, e virou pasto.

Mais de 60% das estradas da região não são pavimentadas, 2/3 dos esgotos não são tratados: a América Latina gasta em infra-estrutura menos que qualquer outra região do mundo, com exceção da África sub-saariana…

A América Latina teve uma boa oportunidade recentemente, mas conseguiu perde-la, diz a revista.

E explica.

A operação Lava Jato, dirigida pelo Judge Murrow, o único juiz do Brasil (PHA), provocou o novo atraso (setback)!

Ela destruiu os planos de investimento em infra-estrutura de uma DÚZIA de países latino-americanos.

Exemplos de projetos arruinados pelo Judge Murrow:

– um contrato de US$ 7 bilhões para levar gás natural da bacia amazônica através da cordilheira dos Andes, até o Peru;

– a Rota do Sol, uma estrada de 500 km que ligaria Bogotá à costa caribenha da Colômbia;

– o novo aeroporto internacional da cidade do México, que o candidato à frente das pesquisas, López Obrador já anunciou que vai dinamitar!

Será possível financiar esses projetos sem dinheiro de bancos internacionais, como o BID ou o Banco Mundial, se pergunta a revista?

No Brasil, impossível!

Apesar dos esforços patrióticos da Cegonhóloga, os açougueiros dо tal neolibelismo, segundo a Economist, são responsáveis por outros crimes de igual envergadura:

– a dívida do setor público (impagável, breve – PHA) chegou ao ponto recordista de 74,4% do PIB, ano passado;

– o desemprego no Brasil, de 12,2% (fora os sub-utilizados) é o MAIOR DO MUNDO, com exceção da Grécia, Espanha e África do Sul (onde o presidente ladrão foi agora deposto – PHA);

– e a taxa de juros do Brasil é A MAIOR DO MUNDO, abaixo da Venezuela e o Paquistão!

Um colosso!

É óbvio que, diante da ligação profunda da Lava Jato com a CIA, todas essas obras hoje arruinadas serão retomadas por empresas americanas.

Make America Great Again, é o sonho do Trump, dos canalhas e canalhas, e do Judge Murrow!

PHA do Conversa Afiada

MUDA OAB

Existe um expressivo movimento de advogados que comporão uma chapa de oposição para a eleição que se avizinha.

O movimento muda OAB reúne suas principais lideranças nesta quarta-feira, em Porto Alegre, para prepararem a grande reunião do mês de abril.

O  líder do nosso movimento, Paulo Torelly, Advogado, Mestre e Doutor em Direito pela USP, Procurador do Estado e um dos grande nomes do meio jurídico do país. Um nome de muito fundamento, credibilidade e seriedade.

Pela primeira vez vários grupos independentes estão se unindo em torno da chapa de PAULO TORELLY, que vem com propostas substancias de mudanças na OAB-RS.

← Na foto, Doutor Paulo Torelly  conversando com o professor LUIGI FERRAJOLI,  em Roma, sobre o futuro da democracia constitucional no Brasil e no mundo.

 

 

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, pessoas sentadas, barba e área interna

 

Ex-Presidente do STF dispara contra o STF: ” “Julgamento de Habeas Corpus no meu tempo não dependia da vontade de presidente, isso foi criado agora com Lula!”

Em entrevista à Folha de São Paulo, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e advogado de defesa do ex-presidente Lula, Sepúlveda Pertence, elucidou diversos pontos sobre sua relação com a presidente do STF, Cármen Lúcia e de como está sendo a relação com Lula. Segundo Pertence, sua relação com Cármen é de longa amizade e ainda não conversou com ela, sobre o caso de Lula mas, caso ocorra, será em um nível de decência advocatícia.

Ainda, não deixou de espetar o tribunal, afirmando que em seu tempo, Habeas Corpus não dependia da presidente do tribunal, neste caso Cármen Lúcia. Era uma questão automática, era simplesmente posto na mesa.

Pertence também afirmou que Lula está disposto a lutar até o fim de todos os recursos possíveis no judiciário. Falou também, que se o ex-presidente for preso, entrará imediatamente com alvará de soltura. Já quanto à sentença e o julgamento no TRF-4 disse: “Prisão de alguém antes do trânsito em julgado, a meu ver, só se justifica pelos motivos similares aos da prisão preventiva. O juiz Sergio Moro, que Deus o tenha, determinou a não execução. No final de sua sentença [sobre Lula], confere a possibilidade de apelar em liberdade.”