Inteligência artificial e a estupidez santiaguense, da mulher-esposa robô ao fim da boneca inflável

Publiquei, agora pela manhã, apenas um texto de uma realidade emergente: inteligência artificial no meio jurídico.

Existem centenas de textos disponíveis sobres os avanços com advogados-robôs, juízes robôs (imaginem um juiz robô em Curitiba no lugar do Moro, não seria uma juiz tucano), sobre o emprego de robôs na atividade policial, o que – hoje – já é uma realidade.

O mesmo raciocínio vale para o ensino EAD, que – tempos atrás – parecia ficção, hoje é uma realidade e a alternativa dos governos estaduais vai – sim – ser a implantação do sistema EAD nos cursos de ensino médio, já que as universidades estão sendo tomados pelo sistema.

Quando eu falo e debato isso, não estou externando posição contrária aos professores, apenas alerto à emergência de uma realidade científica e tecnológica dominante.

Meus queridos professores de Santago e regiáo: tempos atrás, eu comprei um calculadora na JH Santos em 12 vezes. Hoje, eu compro uma calculadora de um camelô por 10 dez reais. Computador, nos tempos da URSS, era considerado uma arma de guerra, hoje eu tenho 4 computadores em casa. Será que vcs realmente não entendem isso ou teimam por insipiência ante o avanço científico e tecnológico da humanidade?

A telemática é uma realidade, minha filha vai estudar francês por um curso EAD. E aí … ela precisar abdicar de tecnologia?

Os robôs são uma realidade na área policial, na área da saúde, com operações cirúrgicas precisas, na área jurídica, no magistério e até nas tarefas domésticas. Já existe até a mulher robô, que substitui essa mulher “normal” que nós temos em nossas casas. E ela até geme e chega ao orgasmo, mesmo que seja de mentirinha, mas chega. Nisso pouco se diferencia das carnais humanas.

É só irmos nos acostumando com o futuro e parar de agredir quem pensa diferente. A mulher robô não dá despesa, é fiel, fica em casa quietinha esperando o marido, não tem crises de ciúmes, o cara pode ter até duas ou três, são amantes perfeitas … não menstruam, não gastam com vestidos, o próprio homem compra as camisolas, fazem qualquer tipo de sexo sem preconceitos … Parece ficção, mas é realidade, por mais hilário que possa parecer.

É o fim das bonecas infláveis.

Eu imagino os políticos robôs …. que bom que seria, não roubariam….exceto se os programadores ….

Inteligência artificial é uma realidade e já afeta a área jurídica

FONTE – CONJUR + Escritório dos EUA já trabalha com o Advogado robô

Por Humberto Chiesi Filho  – ADVOGADO

Muito vem se discutindo a respeito do ensino do Direito no Brasil e, além dos desafios já existentes, temos um novo elemento que provavelmente trará grandes mudanças na atuação e na carreira dos profissionais do Direito, assim como em diversos outros aspectos da sociedade contemporânea. A inteligência artificial.

Continue lendo “Inteligência artificial é uma realidade e já afeta a área jurídica”

Declaração Pública de Voto

Eu escreveria este texto mais próximo da eleição. Porém, um conjunto de circunstâncias e a emergência de alguns fatos, fazem com que antecipe minha decisão. Espero que seja tempo.

Este é um momento de todos nós, especialmente em nossa cidade, estamos tomando posições, escolhendo nossos candidatos e apostando na cidadania, no civismo e no plantio de sonhos por dias melhores.

Continue lendo “Declaração Pública de Voto”

Um debate medíocre

O DEBATE dos candidatos ao governo do Estado, na BAND, foi uma merda. As mesmas propostas de sempre, as mesmas estratégias, as mesmas malandragens, a mesma monotonia. Um lixo.

Jairo Jorge e Eduardo leite cotejando governos municipais. Eduardo Leite parecia um coelho encurralado.

Rosseto, joga para o público petista e repete as velhas fórmulas de sempre. Ganha o que já é do Tarso: setores do funcionalismo. Outra parte, vai com Jairo Jorge e algum liberal maluco.

Matheus Bandeira é disparadamente o mais preparado, o mais inovador. Deu um show. Mas está na mesma linha do Sartori, que se saiu muito bem com seu estilão tradicional. Ganhou disparado, embora Matheus seja a revelação, sequer sei que partido é esse cara, mas que é bom e diferente, é.

O Robaina dá dó, só fala em minorias, negros, feminicídio, coisa que ninguém quer saber. É o PT do ano de 1981.

Ninguém apresentou nada de nada. Foi um debate freiras, Jairo Jorge, as vezes, se esquecia que saiu do PT e invocava as maravilhas do Tarso no Ministério da Educação.

Menos de 0.1% da população gaúcha assistiu ao debate. No youtube, tinham menos de 3 mil pessoas. Um fiasco.

Sartori disse que vai seguir fazendo o que está fazendo e foda-se quem está contra.

Quem achou que Eduardo Leite seria um ás, se deu mal. O ás mesmo foi o Bandeira. E privatiza e estatiza conforme o público. Nisso o Jairo Jorge foi mais águia.

Resultado. Rosseto terá o votos corporativos dos servidores públicos e ficará nisso. Jairo Jorge, tentando ser liberal, vai ficar na mesma disputa com o Jairo Jorge, os dois medíocres. O PT seguirá achando que a sociedade gaúcha é o conjunto dos servidores públicos. Burros, não extraíram lição da cagada do Tarso. O resto foi chavão e epítetos.

Esse Robaina, nem vale a pena analisar, tem a cabeça no Bom-fim e a bunda em Ipanema. Quer por em pauta uma discussão alheia aos interesses gaúchos.

Sartori vai seguir na frente com seu estilo, não cai em provocação, foi propositivo e é humilde. Ganhou pontos, falou para a sociedade como um todo e não para as corporações. Estribado em Pesquisas, foi nos pontos chaves.

Esse Bandeira, que é show, ninguém sabem quem é.

Moral da história. Vai continuar tudo como Dantes no quartel de abrantes.

Foi o pior debate que eu já vi na história política do Rio Grande do Sul.

Santiago vai viver noite histórica: JOGO DA VIDA, NÃO AS DROGAS, PELA PAZ

Santiago vai viver uma noite memorável dia 29 de setembro. Seleção de craques, Ronaldo Luiz, bi campeão do mundo pelo São Paulo, Maurício, que foi atacante do inter, Tinga, dentre outros, contra a seleção de Santiago. O evento é organizado por um grupo independente de desportistas locais, na foto abaixo.

Verdadeiros desportistas locais, que surgem para acabar com os mamadores dos cofres públicos, conhecidos oportunistas.

 

Maurício
Ronaldo Luiz

Elegibilidade de Lula cada vez mais concreta (DCM)

Se vale para o deputado João Rodrigues (PSD), candidato à reeleição, tem que valer também para o ex-presidente Lula. E por que seria diferente? O advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira, que representa Lula na Justiça Federal, vai invocar essa decisão como um dos fundamentos de sua batalha jurídica para garantir que Lula participe das eleições.

“Sem dúvida, esta é uma decisão que usaremos como referência”, disse ele ao DCM há pouco, depois de desembarcar em Brasília para acompanhar o registro da candidatura do ex-presidente.

Na liminar que concedeu ontem à noite, em habeas corpus em favor de João Rodrigues, que cumpre pena em Brasília, o ministro Rogerio Schietti Cruz suspendeu os efeitos da condenação e autorizou o parlamentar a se registrar para disputar a eleição e participar da campanha.

No entendimento do ministro, havia “iminente e irreversível” risco.

A decisão do STJ confirma entendimento da própria Justiça Eleitoral, como já havia destacado o advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira, depois de realizar um minucioso estudo sobre as decisões do TSE em casos idênticos ao de Lula.

Ele vai apresentar ao TSE 145 casos das últimas eleições, em que candidatos a prefeito condenados criminalmente em segunda instância tiveram a oportunidade de disputar o pleito normalmente, e aguardar até a diplomação para obter uma decisão definitiva sobre eventuais inelegibilidades.

Esse foi o caso de Galileu Teixeira Machado (PMDB – Recurso Especial Eleitoral nº 6288 do TSE), que disputou a eleição de 2016 em Divinópolis/MG condenado criminalmente em segunda instância, teve o registro indeferido nas instâncias ordinárias, foi o candidato mais votado no município e apenas em 6 de dezembro de 2016 obteve decisão liminar do STJ que suspendeu sua inelegibilidade, levando o TSE a permitir que fosse empossado prefeito daquele município.

A mesma sucessão de fatos ocorreu com o candidato a prefeito de Conceição de Macabu/RJ em 2016, Claudio Linhares (PMDB— Recurso Especial Eleitoral nº 6288). Apesar de condenado criminalmente em segunda instância, como Lula, o candidato disputou o pleito com o registro indeferido e venceu as eleições.

Poucos dias antes da diplomação, em 14 de dezembro de 2016, o STJ deferiu liminar suspendendo os efeitos de sua condenação criminal, o que levou o TSE a reverter o indeferimento de seu registro de candidatura, possibilitando que assumisse o cargo que obteve nas urnas.

“Eu montei uma equipe para preparar um trabalho de jurimetria. O que é isso? É avaliar como é que a Justiça Eleitoral se comportou em casos idênticos ao do ex-presidente. Eu levantei milhares de casos, centenas de decisões judiciais e posso dizer com certeza. Se evitarem que o ex-presidente Lula chegue às urnas e ao horário eleitoral, farão algo que nunca fizeram no Brasil”, disse.

Com Lula, a justiça tem funcionado como tribunal de exceção, mas, se ele disputar a eleição e tiver mais de 50 milhões de voto, os magistrados terão coragem de barrá-lo?

Talvez tentem, dada a violência demonstrada pelas instituições em relação a Lula, mas não é por isso que ele e sua equipe devem ficar de braços cruzados e aceitar as ameaças.

A Justiça, ao final, não terá condições de ficar contra o Brasil.

D.C.M

Ministro do STF, Gilmar Mendes, diz que juízes precisam de psiquiatras

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, cobrou nesta terça-feira (14/8) maior rigor na análise de condutas de investigadores e ainda ações para coibir açodamento em apurações. Classificando a Operação Carne Fraca de constrangedora e de grande movimento contra a economia brasileira, o ministro afirmou que atualmente todos querem virar o juiz Sergio Moro, ganhar minutos de fama e que muitos estrupícios se juntam para produzir resultados desastrosos.

“Uma falha setorial, em um dado setor da economia, se magnificou de uma forma absolutamente irresponsável! Constrangedora! Fala mal das instituições, aponta para um delírio coletivo. Todos querem virar um Moro, ganhar um minuto de celebridade. Não precisamos de corregedores, mas de psiquiatras. Porque é um problema sério. Quer dizer, os estrupícios se juntam e produzem uma tragédia! Produzem uma tragédia! É constrangedor”, disparou.

Um dos principais desafetos do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, Gilmar voltou a atacar sua gestão e disse que “mãos embriagadas” dele induziram ao erro o Supremo, como na prisão do banqueiro Andre Esteves no suposto episódio de compra do silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, no qual acabou inocentado.

(…) DCM