Um conjunto de esclarecimentos

Eu sou um homem de conduta reta, não tenho preço. Sou amigo dos meus amigos e entendi, por bem, fazer uma limpa em amizades questionáveis. Não me vanglorio dizendo que sou inteligente, mas sei sacar certas jogadas. Não estranhem quem foi cortado do meu facebook e do meu whatsapp.

Por outro lado, serei implavável, a partir de hoje, com tudo o que eu sei, doa em quem doer. Existe muita mentira refreada em tudo em Santiago.

Estranho muito esse governo do Estado, basta ver que todos os cabos eleitorais de Marcos Peixoto já estão empregados na CEEE ou na CORSAN ou em empresas terceirizadas. Um escândalo. Não se faz mais política por convicção e ideologia, é tudo por cargos.

Quem tem uma vida limpa, vai cada vez mais sendo jogado para o lixo, para a humilhação e o desprezo. Está aí a razão de minha reação. Não me estranhem daqui para frente.

Vejam a feira do livro de Santiago, senhores escritores e jornalistas. Eu sou santiaguense, tenho 6 livros publicados. E por que eu sequer sou ou fui convidado para a feira do livro? A feira do livro é de Santiago ou do governo do PP? Quem não é amiguinho do prefeito, não é convidado, mesmo sendo um escritor? 

Eu vou levantar, nos próximos dias, um escândalo gospel sem precedentes, que há dias está em gestação em Santiago, e isso demonstrará a podridão da moral pregada e a extensão do cinismo, embora toda a história local já esteja com o blogueiro de Santa Catarina. Só não me digam que eu não avisei.

Durante meses de silêncio obtive informações que até DEUS duvida.

Eu não tenho medo, senhores ameaçadores, nem da morte, então eu terei medo de processos? Podem irem preparando seus escritórios e seus baba-ovos, porque agora vai começar uma luta sem tréguas.

Lembro-me quando no governo Vulmar, eu desci, alta madrugada, com o jornalista João Lemes ali no xis na Bento. Lá sentado, disse ao João que nós só tínhamos uma saída contra o Vulmar Leite: era matar ou matar.

João quis entender o que eu dizia, Disse-lhe, ou ele nos mata ou nós matamos ele. Vulmar era uma pessoa como o Tiago, que gostava de processar quem lhe fazia oposição.

Em Santiago, a oposição está toda dominada. O jornalismo local virou bajulação oficial, não sei como não sentem vergonha. Devem ser os trocos e as migalhas que os alimentam e retroalimentam.

Eu fui cercado por todos os lados. Inclusive com a procuradoria do município me executando por dívidas de ISSQN, imposto que eu nunca recolhi por estar abrigado pela imunidade tributária do Artigo 150, VI, d, da Constituição Federal. Mesmo sabendo disso, seguiram e levaram até o fim o intento processual contra mim.

O PP virou um máquina que ninguém tem coragem de enfrentar, por isso, os abusos, como os que fizeram comigo, passam em branco, afinal fui massacrado por ações criminais e civis do prefeito Tiago contra mim.

Até uma postagem de um blog apócrifo, criado para atacar o secretário de gestão de então, Dr. Frederico Peixoto, foi usada contra mim e disseram, sem prova nenhuma que a postagem era do meu blog. Quem não sabe que foi contratado um expert em internet e redes sociais e foi descoberto de onde partiam as postagens, de um computador de dentro da prefeitura? E ainda acusaram o Dr. Breno Pinto de Freitas de ser o responsável pelas postagens apócrifas? É claro que foi um lance sujo, pois ele era um dos grandes aliados de  Frederico Peixoto. Ou alguém usava o computador do Procon fora de expediente, justamente para incriminá-lo. Eu vi a grande injustiça que fizeram com ele.

O assunto ficou repressado e só veio à tona agora, quando usaram as postagens apócrifas para uma juíza local me condenar, dando a entender que as críticas apócrifas ao secretário de gestão Frederico Peixoto eram ao secretário de gestão Tiago Gorski. Brutal malversação e depois o irmão Dionísio não entende de onde emerge meu ódio

Dias atrás contei a Dra. Aline, presidente da OAB, a extensão dessa malversação e a prova está estampada nos autos do processo.

Por outro lado, não mais me alinho com a oposição local alinhada em torno do ex-deputado Marcelo Brum. Não concordo com a prática de Marcelo, sou e sempre serei oposição a uma pessoa como ele, que usa os pobres e os evangélicos para tirar proveito eleitoral. Eu ando no caminho de Deus, na luz, e não me misturo com gente assim, a quem eu conheci. A situação posta é a seguinte: ou a oposição se afasta de Marcelo Brum ou eu me afasto da oposição. Simples assim.

Presidente do Peru é afastado e preso

O presidente do Peru,  Pedro Castillo, foi preso após ser destituído pelo Congresso do país. A decisão, votada nesta quarta-feira, ocorreu depois que o líder peruano dissolver o Parlamento do país. O Congresso convocou Dina Boluarte, vice-presidente de Castillo, para assumir a presidência. Ela deve ser empossada hoje.

Castillo anunciou a dissolução do Congresso, decretou toque de recolher e implantou estado de exceção, mas um rápido contragolpe, garantido pelas Forças Armadas, acabou com o golpe presidencial.

A TV peruana mostrou Castillo e sua família deixando o palácio de governo. Além dele, estavam a mulher, Lilia Paredes, os filhos e a cunhada.

Eles foram detidos quando estavam retirando seus pertences em sacolas.

Gioda será o vice de Piru?

Eu conversei com um líder do PP ontem e ele me disse que o vice de Piru, será Gioda, secretário de desenvolvimento econômico do município e cujo irmão, arquiteto, promove obras icônicas para a prefeitura de Santiago. Ele é responsável pela reestilização de fachadas de escolas, pela praça do avião, dentre outras obras importantíssimas para Santiago. É claro, é tudo legal e licitado.

Eu achei que o líder do PP me diria que o vice seria Éldrio ou Jhonata, vereador e genro de Chicão. Mas esse líder me contou que ensinou Tiago aparelhar o diretório e que hoje está tudo controlado e que só passa quem Tiago quiser.

Com a oposição cega e burra e ainda se reunindo em torno de Marcelo Brum, eu prevejo um  passeio para Piru e seu vice, embora eu – pessoalmente – ache o nome de Éldrio fortíssimo. O vereador Jhonata eu não o conheço e nunca sequer falei com ele.

Mas, vamos ver o que vem pela frente.