Perversa e manipuladora

Dias atrás eu publiquei um texto do saudoso psicanalista Helio Pellegrino sobre a mulher perversa e manipuladora.

Que fantástico, eu conheço uma personagem que até parece o texto foi escrito inspirado nela, na sua vida e na sua conduta.

Mas vejamos, apenas alguns breves excertos:

Ela nunca é responsável por nada. A responsabilidade é sempre jogada sobre os outros ou sobre fatores externos à pessoa dela.

-A perversa busca controlar aquele que convive com ela, procura isolar essa pessoa daqueles que lhe poderiam prestar apoio, tenta usar as pessoas que dependem dela (seus empregados, membros da família) para apontar o dedo para você e o isolar. Você é sempre o único culpado, o único a cometer erros.

O objetivo primeiro da manipuladora é culpar o homem.

Raul Seixas foi visionário com a música “Aluga-se”

A solução pro nosso povo eu vou dá
Negócio bom assim ninguém nunca viu
‘Tá tudo pronto aqui é só vim pegar
A solução é alugar o Brasil
Nós não vamo paga nada
Nós não vamo paga nada
É tudo free
Tá na hora agora é free
Vamo embora
Dá lugar pros gringo entrar
Esse imóvel tá pra alugar ah ah ah ah
Os estrangeiros eu sei que eles vão gostar
Tem o Atlântico tem vista pro mar
A Amazônia é o jardim do quintal
E o dólar dele paga o nosso mingau
Nós não vamo paga nada
Nós não vamo paga nada
É tudo free
‘Tá na hora agora é free
Vamo embora
Dá lugar pros gringo entrar
Pois esse imóvel está pra alugar, alugar ei
Grande soluça, uh ei
Nós não vamo paga nada
Nós não vamo paga nada
Agora é free
‘Tá na hora é tudo free
Vamo embora
Dá lugar pros outro entrar
Pois esse imóvel tá pra alugar ah ah ah ah
Nós não vamo paga nada
Nós não vamo paga nada
Agora é free
‘Tá na hora é tudo free
Vamo embora
Dá lugar pros gringos entrar
Pois esse imóvel
Está pra alugar
Está pra alugar meu Deus
Nós não vamo paga nada
Nós não vamo paga nada
É absulamente free, tá na hora
É tudo free, vamo embora

Risco real de epidemia no sul devido a gripe A, que está assolando o norte do país, onde o caso já virou pandemia

Existe um surto de gripe A, H1N1 que está assolando o norte do país. Como teremos El Nino aqui no sul, inverno chuvoso e geadas a partir de maio, é estranho que ainda não exista vacinação. O sul será atingido duramente e urge a vacinação em massa, pois no norte muitas epidemias já viraram pandemias. O exército brasileiro, apoiado pela marinha e aeronáutica, estão promovendo vacinações em massa. Esclarecer a população e informar à sociedade não é fazer alarmismos, é precaução, até porque não temos estoques de Tamiflu.

Os méritos de Olavo de Carvalho e as razões de Eduardo Bolsonaro

Silas Malafaia ataca Olavo de Carvalho e o reconhecimento de Eduardo Bolsonaro ao escritor e filósofo.

Eduardo Bolsonaro, a mim parece, teve a percepção de que quem unificou um pensamento ideológico nacional foi Olavo de Carvalho. E foi mesmo. Em suas sistematizações pró-direita, Olavo de Carvalho foi construindo as bases de um discurso anti-PT e anti-esquerda e – ao mesmo tempo – dando corpo e detalhes de como seria uma construção discursiva de direita.

Malafaia é tão tosco politicamente que ele acredita que os evangélicos votaram em Bolsonaro por causa da causa evangélica. Não. Os evangélicos votaram no discurso moralista em defesa da família, da moral, dos bons costumes e – essencialmente – contra a liberalização dos costumes, marchas gays, enfim, essa onda ultra-liberal liderada pelo PT, que assustou as famílias e aos defensores da família.

Não estou entrando no mérIto. Apenas faço uma análise das razões que levaram as famílias evangélicas e católicas conservadoras a se unirem em torno do anti-PT e o discurso liberal nos costumes encarnado pelo PT.

Na minha avaliação, o maior calcanhar de Aquiles do PT foi a reação à direita devido as defesas de liberalização dos costumes. Esse público, não é Bolsonaro, eles foram Bolsonaro por exclusão e o “mito” sempre foi um bom aprendiz. Ele repetia o que Olavo de Carvalho orientava; o mérito de Olavo, foi a sistematização de um discurso de direita, com lógica e muita percepção. Captando isso, Bolsonaro jogava para a plateia.

Silas não percebe é que ele não é 1% de Olavo de Carvalho, que é um estudioso muito sério. Podemos não concordar com ele, mas imaginar que ele não sabe muito bem o faz quando propõe unificar um discurso de direita, ele é preciso e coerente, sabe sim o que diz e prega… e é certeiro na mira intelectual. Silas não sabe nada da esquerda nacional e mundial, exceto epítetos. Olavo, estudou e conhece a esquerda. Conhecendo tudo, de Gramsci a Marx, conhecendo a geopolítica mundial. Olavo sistematizou um discurso muito coerente para a formação de uma direita, desde a moral e os costumes até a economia, embora a contradição da linha Trump/Bolsonaro com o liberalismo econômico de Guedes.

As evidências saltam os olhos. É óbvio que Olavo de Carvalho foi decisivo para a vitória de Bolsonaro. É óbvio que Eduardo Bolsonaro captou isso melhor que o próprio pai e faz o justo reconhecimento. Silas é um gritão apenas, que tem a pretensão de falar em nome dos evangélicos.

Os evangélicos e católicos que votaram em Bolsonaro pelo discurso, o fizeram dado a sistematização de Olavo de Carvalho. Apenas isso. Silas sequer sabe entender como um pensador pode influenciar um pensamento, mudar os rumos de um país e construir e desconstruir linhas discursivas.

Por favor, peço aos idiotas, os pouco que leem meu blog, que essa é análise de quem entende como se constrói uma linha discursiva. Apenas isso…não estou dizendo que Olavo está certo ou errado, nem Eduardo, estou dizendo que Olavo tem o mérito de sistematizar um discurso nacional, que Silas sequer compreende.

Uma porta para o além, uma janela entre a vida e a morte. As razões de um cabalista

Não entendo – honestamente – bem os caminhos e os labirintos da cabala, por onde venho trilhando há uns 20 anos. Sei que fui fundo, muito fundo, seja no desenvolvimento do sexto-sentido, seja na comunicação por sensações. Eu sinto o choro de minha filha pela madrugada. Sinto que ela chama por mim … estranhamente, eu desenvolvi isso e cheguei num patamar quase além, com uma janela com o além.

Eu sei de uma legião de demônios que desejam a minha morte, sei que estão ávidos pela minha alma.

Meus últimos tempos foram de rupturas muito doídas. Afastei-me de amigos, percebi que muita coisa não fechava e cada vez procurei viver para dentro de mim.

Sábado à noite, eram 3 horas da madrugada. Nina dormia. Eu sinto cheiro de borracha queimada. Levanto-me. Olho embaixo de minha mesa de trabalho e havia fogo. Tenho uma salinha dentro da sala grande e botei um ventilador, na extensão. Deixei tudo ligado e pegou fogo na tomada do ventilador conectada com a extensão. O fogo era pequeno. Apaguei tudo.

Mas ao apagar, percebi era algo mais grave. Notei um monte de formigas brancas.

Quem leu meu livro O Papel do Jornal sabe a história. Eu fui no Hospital domingo a noite visitar minha mãe. Era o ano de 2003. Estranhamente, existiam muitas formigas brancas, não entendi aquilo, fiquei chocado, mas preferi ficar quieto.

Segunda-feira, minha mãe morreu.

Não sei que relação existe, mas que há algo há.

Sábado a noite, dia 16 de março de 2019, após apagar o fogo do curto-circuito, defronto-me com as formigas brancas. Iguais.

Logo percebi que os demônios queriam algo de mim. Estava cercado deles.

Eu sabia que uma tragédia aconteceria. Tinha certeza.

Primeiro, pensei em não levar a Nina … mas também pensei que daria uma briga enorme com a Eliziane, eu mesmo venho pedindo há tempo para parar com estas viagens, são 280 kms para buscar a Nina em São Borja e mais 280 para levá-la de volta; são 560 kms e em me sinto cansado, debilitado pela diabete, agravado com o problema de circulação sanguínea, reconheço minhas limitações.

Não sou um cabalista ortodoxo, mas leio muito e sei bastante muitos segredos ocultos.

Ontem, preferi enfrentar a estrada, sabendo que uma tragédia me esperava. Incrível, mas eu sabia, sabia mesmo.

Então, oro a Deus, sei que iniciava-se a travar uma luta dos anjos do bem com os demônios.

Cauteloso, dirigia com o cuidado triplicado, não passava de 80 por nada.

Quando, antes do Nhu-Porã, um pouco antes, um grupo de vacas na pista … mais umas que vinham atrás. Não era aquele coisa que a gente vê de longe e começa a parar. Essas cortaram a minha frente. Freei e mantive absoluto controle do carro, o carro foi quase parando, mas não o suficiente para impedir a batida no animal, que foi jogado em cima do capô. Quando vi que poderia transcender o parabrisas e bater em nós, joqueei o carro para o animal cair para o lado e não bater em nós. A manobra foi exitosa. Percebi ali que minha percepção estava certa. Se eu viajasse a 100 … 110 kms por hora eu não estaria mais aqui, nem minha filha. Ou sabe-se lá como estaríamos.

No fundo, dentro de mim, eu sabia e sei de uma conspiração demoníaca para levar minha alma.

Percebi que Nina estava bem, só bastante assustada, eu apenas bati o peito contra a volante, mas estamos bem.

Agradeci a Deus. Cabalistas sabem da luta. Eu tinha que passar, há tempos eu percebo a presença dos demônios querendo tragar eu e a vida de minha filha.

Por entender tudo, estou sempre intercedendo por ela. Aprendi a lidar com os bichos e as forças das trevas. É uma queda de braços.

No fundo, ontem, depois de tudo, eu sorri por dentro, e disse: obrigado Deus, obrigado Jesus.

Sei que as trevas e as forças demoníacas não param. Mas até agora, elas não conseguiram.

Lembrei-me do Chicão, meu querido amigo. No domingo, no último domingo de sua vida, ele estava lá em minha casa, sentou na sala e ficou 3 horas conversando comigo e com a Eliziane.

Quando ele foi subir no carro, o mesmo Prisma que o matou, perguntei-lhe: sem motorista CHICÃO?

Ele olhou para mim e disse, não adianta, eles já me encomendaram. Eu to marcado.

Ele sorriu. Eu sorri. Nós sabíamos de tudo.

Sexta-feira, cinco dias depois, perto das 4 horas da manhã, a secretária Mara (da saúde) liga-me para avisar do acidente.

Como sempre, eu estava acordado. Lembro-me quando a Eliziane disse: morreu? Veio até a sala onde eu estava no computador e me disse: o Chicão acabou de morrer.

Enrolamos a Nina num cobertor, pegamos o carro e fomos para o local. O corpo de Chicão tinha terminado de ser carregado. O carro ardia em chamas. Vi o celular de Chicão no chão. Dali, necrotério. E a história que todos já sabem.

É estranho explicar tudo. Mas eu, ele e o Tavinho, éramos muito íntimos, amigos, irmãos cósmicos. Eu brincava com os despachos e oferendas em frente a minha casa. Nós mexemos com muitas forças ocultas. É óbvio que o próximo sou eu. Mas eu tenho resistido. Talvez minha percepção extra-sensorial e a extrema lucidez que tenho, razão pela qual sequer durmo, tem me feito vigilante contra o príncipe das potestades.

Eu sempre soube que eu seria atingido. Sempre avisei a minha então esposa, ela nunca acreditou. Hoje, para eles, o há de mais precioso é minha filhinha. Por isso, vivo com ela em oração, forço a que ela ore sempre, estou em permanente intercessão divina por Nina.

Não sei o que vai dar. Talvez me peguem desprevenido e me levem, talvez eu vença devido a minha fé e minha relação com Deus. O certo é que Nina não será atingida.

Ontem, estava tudo preparado para uma festa no inferno. Não é fácil os demônios arrastarem um cabalista. Eles vão seguir tentando e vou seguir resistindo, com minha fé em Deus, com minhas orações, reflexões e estudos. Meu destino é trabalhar, ajudar a quem precisa e orientar minha filhinha nesses primeiros anos de vida.

Depois, eu descansarei em paz. Plantei uma árvore, um lindo pinheirinho que ficou na frente da nossa então ex-casa, onde ali houve uma família, escrevi seis livros e fui pai. As três missões de um homem na Terra: plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro.

Agora vou ler o livro de Eclesiastes.

Já lavei o carro e retirei minha morningstar (por favor, não confundam minha estrela com bolsas de investimentos) , a qual eu carreguei sem deixar minha filha ver.

Mais um acidente na minha vida

Eu estava indo a São Borja levar minha filha. No meio do caminho, antes do Nhu Porã, no asfalto, 4 vacas. Freei o que pude, preocupado com a Nina no banco traseiro. Bati de frente numa das vacas, mas foi pouco o dano no carro. O dano maior foi que após a batida, a vaca caiu por cima do capô e com o peso, praticamente afundou parte do capô.

No meio, descubro o que tinha acontecido. O pessoal da fazenda já andava com várias pessoas a cavalo, pois tinham arrombado a cerca e a intenção era carregar o gado. O Proprietário, foi muito ético e correto, imediatamente se dispôs a pagar os prejuízos e danos, sem nenhuma discussão, tudo em altíssimo nível.

Graças a Deus não houve nada conosco. A Nina está bem, nenhum arranhão.

Agradeço ao pessoal do Deputado Marcelo Brum que nos socorreram no local, voltei com eles para Santiago, ao Lucas que fez as pontes, ao Vilson e também a presteza e o profissionalismo do pessoal da Polícia Rodoviária Federal.

Refletindo sobre o adultério, feridas e cura – Pastor Josué Gonçalves

https://www.youtube.com/watch?v=oUzWnDxeud8

Uma das mais lindas pregações sobre a destruição da família, a ruína das pessoas e a destruição, por extensão, dos filhos. Embora um vídeo longo, deve ser prestigiado, eis que uma rara aula sobre um problema no qual quase todas as famílias estão envolvidas, seja pelo homem, seja pela mulher. Assustadora a reflexão sobre as extensões e as consequências do adultério.