Sobre a carreata pelo voto auditável em Santiago

Sharing is caring!

A carreata pelo voto impresso e auditável foi muito pequena e quase sem organização. Não haviam palavras de ordem, nem faixas, nem cartazes. Nada. Muitas pessoas achavavam que era uma comemoração alusiva aos jogos de Tóquio. Contamos 96 carros. Não mais que doze motos.

Não creio que o Bolsonarismo tenha perdido força em Santiago ,,, mas as divisões são nítidas. O PP tem uma ala abertamente fechada com Eduardo Leite, embora o senador Heinze seja abertamente bolsonarista e anti-Eduardo Leite. Essa mesma ala do PP é vivamente petista. Complexo. O PMDB não deu as caras. O PTB perdeu a chance de mostrar que existe e não participou … O PL fingiu que não existe.

O bolsonarismo está que nem uma nau sem rumo … o deputado Marcelo Brum, que é cria da casa, abandonou suas bases e agora mora em Carlos Barbosa, ninguém entende. O grupo local bolsonarista é anti-Marcelo e aí começam as confusões. Estão piores que as esquerdas, talvez se unam só na cadeia, se o Zé Dirceu fizer o que promete, não se trata de concordar com ele, se trata de reconhecer que é um líder forte e de palavra.

A esquerda babaca comemorava as baixas temperaturas e o prejuízo da geada  da neve nas plantações. Querem ferrar com o agronegócio, continuam otários.

 

Comentar no Facebook