A crítica aos evangélicos: o problema dessa elite é que eles querem sujeitar o povo a pensar como eles pensam; se não houver sujeição de pensamento, não vale a liberdade de pensamento. Liberdade de pensamento, só para quem se submete a pensar como eles pensam.

Sharing is caring!

Ignorância e atraso: são os evangélicos todos imbecis?

Existe em nosso país um pensamento arrogante que parte de certas elites acadêmicas, que se julgam donas do monopólio da verdade e do conhecimento. Agora, abriram guerra contra os evangélicos, a quem acusam de ignorantes, atrasados, cordeiros manipuláveis e presas fáceis de supostos pastores inescrupulosos.

Primeiro, toda generalização é estúpida e grosseira. E nisso, o pensamento elitista que julga ter o monopólio dos saberes e dos conhecimentos, é irmão siamês da boçalidade histórica. Segundo, é próprio dos arrogantes, não respeitar e fé alheia e a livre escolha das pessoas. Terceiro, é cinismo demais negar que todas as religiões de origem afro, que têm terreiras em quase todos os bairros das cidades brasileiras, também cobram pelos trabalhos, despachos e oferendas. Tenho vários amigos que atuam nessa crença e todos cobram pela consulta e pelos trabalhos oferecidos aos guias. A diferença, é que nunca ouvi nada da elite intelectual do país no sentido de atacar as pessoas que buscam tais credos e das pessoas que creem em tais credos.

A preocupação deles é em atacar os evangélicos.

Por ser evangélico e por conviver com o movimento evangélico desde tenra idade sei que os evangélicos, assim como espíritas, católicos, umbandistas … são fragmentados em classes sociais, havendo evangélicos em todos os níveis socioeconômicos. Conheço evangélicos extremamente pobres, altamente ricos, assim como evangélicos de altíssima formação acadêmica e intelectual. Conheci, aqui na região, dois talentosos juízes de Direito, pessoas altamente formadas, cujo currículo é qualquer coisa para deixar esses intelectuais do canal de Giraldhelli, envergonhados. Um, ligado a Assembleia de Deus e outro ligado a Igreja Universal. Também, por intermédio do Deputado santiaguense Marcelo Brum, conheci o Juiz Federal Willian Douglas, evangélico, que entrou no concurso público em primeiro lugar, Doutor Honoris Causa da Escola Superior de Advocacia (ESA) da OAB-RJ, Presidente e membro de Bancas Examinadoras; Conferencista e autor de diversos livros e artigos; Professor-conferencista da EMERJ e da EPGE/FGV. Com mais de 1.700.000 livros vendidos, tendo proferido palestras para mais de 1.900.000 pessoas. Figurou por diversas vezes na lista de livros mais vendidos da Revista Veja, Folha de São Paulo, Valor Econômico, Você S.A e Publishnews.

Será o juiz federal Willian Douglas mais um ignorante, manipulado por pastores inescrupulosos, que só querem seu dízimo?

Ou será o juiz federal Willian Douglas um dos maiores sábios e intelectuais do país?

Já que os supostos donos da verdade medem tudo por currículo acadêmico e acham que só eles é sabem das coisas, que tal trabalhar com uma análise comparativa?

Ademais, eu conheço grandes cientistas da área médica, a Rosana Alves, por exemplo, que é a preferida dos seminários evangélicos (e faz jus). A neurocientista Rosana Alves, Doutora em Ciências pela UNIFESP, com 3 pós-doutorados, sendo dois deles no Brasil, USP e UNIFESP e o outro nos EUA, Marshall University e atualmente Presidente do Neurogenesis Institute (EUA). Será que ela, ao lado do juiz federal Marcelo Bretas (dispensa apresentações) são todos ignorantes manipuláveis por pastores inescrupulosos?

Ora, ora, ora, não vou me estender. Quero apenas frisar aos tolos que acham que existe monopólio do saber e do conhecimento apenas nos seus nichos supostamente intelectuais,que a fé e a crença das pessoas precisam ser respeitados.

Eu vivo numa pequena cidade do interior gaúcho e sei entender bem as estratificações sociais e econômicas em qualquer lugar. Aqui, conceituados médicos, advogados, engenheiros … oram ao lado de padeiros, pedreiros e porteiros… Em comum, todos professam a mesma crença. Ademais, todos se sentem agredidos pela estupidez de certos professores universitários e seus feudos de PPGs, mantidos com recursos públicos, e que não aprenderam o básico da civilidade, que é a respeitar as escolhas e as opções de credo das pessoas, afinal, vivemos num país livre, democrático, onde a liberdade de manifestação religiosa está insculpida na própria Constituição do país.

O problema dessa elite é que eles querem sujeitar o povo a pensar como eles pensam; se não houver sujeição de pensamento, não vale a liberdade de pensamento. Liberdade de pensamento, só para quem se submete a pensar como eles pensam.

O pensamento totalitário e arrogante não admite pensamento diferente e agride o pensamente livre.

A verdade é um valor raro, de difícil quantificação e qualificação. A rigor, todos nós temos a propensão de achar que produzimos a Verdade em nossas manifestações quotidianas. Por isso, entendo os que atacam e não sabem conviver com o pensamento divergente e contrário.

Comentar no Facebook

Deixe uma resposta