A bomba revista Crusoé abala o STF e abre crise nacional sem precedentes.

Sharing is caring!

Um grupo de empresas e instituições, algumas ocultas, repassou no ano de 2016, a título de patrocínio, a bagatela de R$ 7 milhões de reais para o Instituto de Direito Público (IDP), a faculdade do ministro Gilmar Mendes.

A revista Crusoé, a nova sensação do jornalismo brasileiro, num fantástico trabalho de reportagem dos jornalistas Rodrigo Rangel e Filipe Coutinho, desvendou a lista completa, demonstrando que tais ‘patrocinadores’, invariavelmente têm interesses no Supremo Tribunal Federal (STF).

Abaixo, a lista completa e os valores doados:

Souza Cruz………………R$ 2,4 milhões

Interfarma………………..R$ 657 mil

Febraban…………………R$ 500 mil

Grupo J&F……………….R$ 500 mil

Itaipu……………………….R$ 420 mil

CNT………………………..R$ 400 mil

CNI…………………………R$ 250 mil

CEMIG……………………R$ 200 mil

CSN……………………….R$ 200 mil

Bradesco………………..R$ 200 mil

Google……………………R$ 200 mil

Caixa Econômica…….R$ 190 mil

OAB……………………….R$ 160 mil

SENAR…………………..R$ 100 mil

CNA……………………….R$ 100 mil

Triunfo……………………R$ 100 mil

Banco do Brasil……….R$ 100 mil

Eletrobrás……………….R$ 60 mil

Avon………………………R$ 60 mil

Correios………………….R$ 50 mil

AMPA…………………….R$ 50 mil

Fecomércio……………..R$ 50 mil

Chama a atenção e causa absoluta estranheza, que pelo menos cinco desses patrocinadores são absolutamente ocultos. Não aparecem e fazem questão de não aparecer.

Noutras palavras, em tese, dão dinheiro em troca de nada.

São eles: a Souza Cruz; o Grupo J&F, dos Irmãos Batista; o Bradesco; o Google; e a empresa Triunfo Logística.

da Redação

Comentar no Facebook

Deixe uma resposta