Poder Judiciário de Jaguari

Juiz Thiago Tristão Lima

Hoje tive uma audiência em Jaguari presidida pelo Magistrado Doutor Thiago Tristão Lima. Como a pessoa a ser ouvida não conseguia subir escadarias, imediatamente o Magistrado, de forma muito cortês e educada, decidiu ouvir a pessoa na parte térrea, se deslocando até o local junto com o Doutor Promotor.

Fiquei impressionado com a polidez e a fineza do Magistrado, que pediu desculpas pela ausência de acesso no Forum de Jaguari a pessoas com dificuldades de locomoção. No caso de Jaguari, não existe rampa e nem elevador.

Juiz João Baptista

Porém, por ocasião da redação da ata, descubro que o Doutor Thiago é do Estado do Espírito Santo. Daí lembrei-lhe de minha amizade com o Juiz João Baptista, também do Espírito Santo, escritor, conferencista e integrante da Confraria dos Luminares. O Dr. João Batista – seguidamente – envia artigos para eu publicar em meu blog.

Apesar do temporal em Jaguari, foi muito gratificante conhecer o Doutor Thiago Tristão Lima. Sou do tempo antigo: sempre impressiono-me com a polidez e a educação das pessoas. Pessoas assim marcam positivamente nossas vidas.

Comentar no Facebook

Marcelo Brum antes da posse como Deputado Federal …

Na tarde hoje recebemos mais uma cordial visita do nosso estimado amigo Marcelo Brum, que dia 2 próximo toma posse como Deputado Federal, Marcelo está iniciando uma grande caminhada, com grandes planos, algo que vai impactar Santiago e região. Comprometido com os pobres e excluídos, Marcelo Brum marcará um trabalho nunca visto e nunca feito pela região. Sugiro que leiam a história de Neemias. Na foto, minha filhinha Nina e  Marcelo Brum.
Comentar no Facebook

O viés ideológico na construção discursiva de Bolsonaro

Bolsonaro, em Davos, anunciou um discurso sem viés ideológico.

Logo, todos foram as redes sociais rebatê-lo, pois ao seu discurso na defesa da abertura do mercado, privatizações, diminuição do tamanho do Estado, também é um discurso ideológico.

Pessoalmente, creio que Bolsonaro não saiba exatamente o que é ideologia, nunca leu Althusser, Hegel, Marx e nem Gramsci. Nem acredito que em sua comitiva, onde Sérgio Moro – aparentemente – tem mais luzes, saiba do que se trata. Não existe na equipe de Bolsonaro nenhum intelectual polímata.

Tudo depende de concepções e da forma como ideologiza sua linha discursiva.

Marilena Chauí, a musa da nova escola jurídica, que dá origem ao movimento do direito alternativo, com Roberto Lyra Filho, escreveu um livro “O QUE É IDEOLOGIA”, onde ela praticamente reproduz o conceito do jovem Marx, de A Ideologia Alemã. Para ela, ideologia é dominação e afirma que é um contrassenso falar em ideologia dos dominados, vez que ideologia pressupõe dominação.

Na contramão, mas bem na contramão, o grande teórico italiano Antônio Gramsci, sustentou que todas as manifestações, na arte, literatura, pintura, escultura, dança, música … são ideológicas, independente de serem produzidas pelas classes dominadas ou dominantes. Imagino que o conceito de Gramsci (me parece que é em Concepção Dialética da História) se aproxima muito do conceito de ideia de Hegel, Pequena Enciclopédia Hegeliana.

É claro que Bolsonaro não domina estes conceitos, não se trata disso. Mas é certo que ele emprega o conceito de ideologia como sinônimo de algo pejorativo, depreciativo, de um véu obscurantista. No caso, ele representa o pensamento dominante e das classes dominantes. Pelo viés gramsciano ele é tão ideológico quanto o viés ideológico que ele diz combater e tenta desconstruir em sua construção discursiva.

O que Bolsonaro não entende, e aqui chega a ser triste a extensão do seu entendimento, é que ele representa uma corrente ideológica de pensamento, tanto quanto os petistas ou tucanos.

A diferença está apenas no viés.

Comentar no Facebook

Capão do Cipó conquista o IPE-Saúde para seus servidores

Administração Municipal de Capão do Cipó, por ato do prefeito Osvaldo Froner,  assinou ontem, em Porto Alegre, o contrato do Ipê Saúde para o Funcionalismo Público Municipal. Acompanham o prefeito o Secretario de Gestão Giuliano Estivallete e demais servidores que aparecem na foto.

Comentar no Facebook

Eu fracassei

Uma excelente reflexão do youtuber Felipe Neto acerca do fracasso, nossos erros e acertos. Vale a pena assistir, são onze minutos de um aula de sabedoria, especialmente de nossas tentativas erradas diante da vida.

Comentar no Facebook

Somos os dados ou o movimento?

* Marcília Rosa Periotto

“Senhores, façam suas apostas”, ordena o bookmaker aos jogadores frente ao veludo verde. A sorte está lançada, os dados são jogados e a roleta incessantemente gira. A geopolítica atual mostra uma tentativa de nova ordem em andamento, assentada em velhíssimas estruturas.

Russos, chineses e norte-americanos objetivam, individualmente, em corroer as bases dos inimigos robustecendo as suas próprias. O vencedor sairá das mãos mais hábeis, dos exércitos mais bem formados, da capacidade de destruição das armas possuídas e da inteligência na manipulação das variáveis na disputa.

Não se sabe se a vitória apontará para um futuro coletivo ou as batatas queimarão junto ao que restará de humanidade após o desenlace final entre as potências mundiais. O que se decide no bojo dessa luta insana não é a especificidade das nações em contenda, mas a possibilidade de continuidade da vida no planeta. Da mais civilizada nação até aos recônditos lugares, do indiozinho que ainda não foi detectado nas florestas sobreviventes, todos seremos alcançados por uma guerra que não é nossa, mas dos que desejam manter a dominação sobre os viventes para unicamente privilegiar outros poucos viventes.

A estratégia norte-americana, desempenhada por Trump, mas elaborada nos subterrâneos da Casa Branca ou Pentágono aponta, à primeira vista, para um isolamento do Império cambiante. O móvel que o anima não é a certeza de vencer sempre, mas a certeza de que se não lutar as chances de permanecer vivo são cada vez mais remotas.

Contrariamente ao tempo da Guerra Fria, na qual se enfrentava um único inimigo e já em desvantagem de forças, os embates atuais contam com parcerias que podem se desmanchar rapidamente na medida em que as intenções megalomaníacas de Trump ficam evidentes, atuando no sentido de conformar o mundo aos interesses do Império que representa.

O lance mais genial da história enquanto método explicativo repousa exatamente em não apontar a priori, com nitidez e absoluto sucesso, quem sairá vencedor da peleja entre Deus e o Diabo no pobre planeta quase sucumbido. Entretanto, exige que se reconheça que a postulação de uma nova ordem pela nação até então dominante é a expressão de uma necessidade histórica urgente e da qual depende, inexoravelmente, a posição de dominância que se pretende conquistar.

Os EUA encontram-se diante do dilema shakespeariano- “ser ou não ser”. Abdicar do enfrentamento ou não ter acumulado forças para isso custará caro ao Império, deixando de ser e se submetendo aos ditames dos mais fortes, exatamente a situação inglesa depois de perder o posto majoritário pós- 1ª Guerra Mundial. Houve a primeira, a segunda e a terceira ainda está em gestação, embora o marinheiro afirme o Brasil dela ter participado.

Entramos na terra da fantasia, mas nenhuma fantasia supera o triste fardo da realidade. Por outro lado, forças ansiosas por um novo desfecho histórico se aglutinam e se veem estimuladas a traçar um novo mapa mundial.

A luta é entre Titãs e qualquer que seja o resultado e na ausência de uma organização mais consequente dos trabalhadores, no que restou dessa classe, ou da não compreensão do movimento, nas suas condições mais gerais e nas especificidades em que se realiza, está o segredo do que virá.

Hábil, a história joga os dados e os homens se posicionam frente às roletas viciadas esperando que o advento da Sorte e da Fortuna penda para o lado que lhes convém.

Doutora pela Unicamp, Pós-Doutora pela UFMG, Professora associada da universidade estadual de Maringá.

Comentar no Facebook

General Paulo Chagas ataca filhos de Bolsonaro.

Num tuíte publicado na noite deste domingo, 20, o general Paulo Chagas, que disputou o governo do Distrito Federal, começou a vocalizar a crescente insatisfação dos militares com a conduta dos filhos do presidente Jair Bolsonaro; “O Brasil não é uma Monarquia e a Família Bolsonaro não é a Família Imperial. Os filhos do Presidente não são Príncipes Herdeiros. Temos que separar as coisas. Filhos são filhos, políticos são políticos. Não são herdeiros da “Cadeira Presidencial”, nem membros do governo”, disparou, no Brasil 247.

Comentar no Facebook

Marcelo almoça com os governadores Leite, RS, e Dória, SP.

O deputado federal santiaguense Marcelo Brum foi convidado pelo governador Eduardo Leite para um almoço nesse domingo; participou do almoço o governador Dória de São Paulo.

Marcelo cresce muito nas bolsas de apostas e é assediadíssimo pelos tucanos, que lhe admiram muito.

Tanto Dória quanto Leite são candidatíssimo a presidência da república.

Sei de coisas que não posso contar agora, mas posso assegurar que Marcelo apenas está iniciando a alçar seus voos. Vai longe é um ungido. Anotem.

Marcelo Brum e o governador de São Paulo, Dória, em almoço, no dia de hoje.

Marcelo está prestigiadíssimo entre as mais altas cúpulas partidárias do país.

 

Comentar no Facebook

Reflexões de um sábado para domingo

Minha filhinha está passando 15 dias comigo. Vivo momentos raros e de profunda alegria. A tarde, vai na piscina, com as amiguinhas. A noite, brinca com as mesmas amiguinhas. Nina é um doce, amável, carinhosa e afetuosa. Uma criança rara. Tudo para ela está bom.

Nesses momentos em que fico longe dela, penso muito. Leio notícias e reflito, especialmente o mundo que minha filha, com 8 anos hoje, herdará.

Sou muito grato aos amigos e bons amigos que tenho. Amigos de 30, 40 anos, os quais redescubro-os pelo face e amigos dos dias atuais. Agradeço ao amigo Vilson Soares dos Santos, um grande empresário gráfico, pela amizade e solidariedade. Um ser humano raro e de uma ética incrível.

Não menos amigo e no mesmo padrão, Giovani Diedrich, outro ser humano fabuloso. No mesmo rol, incluo o Ruderson Mesquista, o Márcio Brasil, o João Lemes, o Cassal, a Cris, Dona Terezinha Loureiro, o Girelli …

É claro que tenho uma plêiade de amigos fora daqui, isso é incontável e inegável. Me refiro nessa postagem aos amigos de perto, do convívio, do dia-a-dia.

Por outro lado, fiquei profundamente grato ao amigo Marcelo Brum, parceiro do dia-a-dia, amigo de longos anos.

O Marcelo é um ser diferenciado, ungido e abençoado. Mesmo depois das eleições, nunca deixou de me enviar reflexões bíblicas e surpreendeu-me, dias atrás, com um agradável convite. Infelizmente, com meus afazeres, abdiquei, mas vi mais presentemente o quanto o Marcelo é justo e sabe reconhecer as atitudes dos que o cercam. É um predestinado, sua caminhada e sua obra recém está iniciando.

Tive amigos que se afastaram de mim por causa do alcaide. Mas esses,  nunca foram amigos de verdade. Tive amigos que se afastaram pela questão política, esses eu entendo. Tenho amigos, que só me procuram quando precisam de algum favor, esses são normais.

Tenho aqueles amigos transitórios. Isso é normal em todas as relações de amizades.

Hoje, noite de sábado, levei Nina para brincar. Depois, fiz um caldo de batata inglesa com cenoura. Delicioso.

As horas passam. Vejo as parteiras da história reunidas na Espanha decidindo como nos manipular. Deve ser por isso que sempre andei sozinho.

Amizade não é sujeição de pensamento e nem submissão. O que eu gosto nos meus amigos é a liberdade, o ser livre, sem subjugar, nem exigir submissão de pensamento.

Quem me conhece fora de meu canto natal, mal acredita o quanto eu sou abominado pelos petistas locais, com raras exceções. Paciência, é a vida.

Ando no meio de víboras e consigo me esquivar bem. Não as mato, deixo que Deus lhes assegure seus destinos.

No meio dos desabrigados, atormentados pelas chuvas e casas destruídas, vi apenas 3 igrejas ajudando as pessoas. E existem centenas. Solidariedade é algo difícil de ser entendido. Muitos falam em Jesus, poucos vivem como Jesus viveu.

Imaginem se todas essas igrejas que pedem dízimos ajudassem aos desabrigados? Sonho meu, sonho meu …

Que a paz reine em todos os corações.

Que Deus abençoe a todos e propicie sérias reflexões nos corações e mentes.

Comentar no Facebook