Felipe Neto explica como é atacado por Fake news

O maior youtuber do Brasil, com 25 milhões de seguidores, está em guerra aberta com os bolsonaristas. Vejam as reflexões do jovem youtuber: P.S.: Eu só conheci o Felipe Neto pela minha filhinha, Nina, 8 anos, que é fã do youtuber. Assisti seus vídeos, e ele é excelente …

 

Comentar no Facebook

O matador de Campinas, uma pessoa de bem, aos olhos dos bolsonaristas

Euler Grandolpho era um homem branco, sem antecedentes criminais, morava num casarão. Era um homem de bem. Até atuou no MP/SP, concursado.

Invadiu uma Catedral católica e matou 4 inocentes que ali faziam suas liturgias.

È só o começo.

Armar os malucos, como quer a família bolsonarista, jogará o país num banho de sangue. Todos com este perfil, comprariam armas de maneira facilitada. Se com todas as proibições legais já anda assim a situação, imaginem com as pessoas de bem, como Euler Grandolpho, armadas livremente sob a guarida do Estado?

Os evangélicos que defendem este governo, que irá se iniciar, se tornarão cúmplices do sangue de inocentes.

Bolsonaro é uma tragédia anunciada. Fomentaram durante meses o conflito fratricida. Fizeram a insegurança pública, uma bandeira tão fácil quanto irresponsável.

Armar a população, afora transferir a segurança pública do Estado para o cidadão, é um ato irresponsável, dado o grau de beligerância social expresso nos interesses de classes desproporcionais; e nem estamos falando no incentivo ao ódio no aguçamento das loucuras individuais, afloradas no prazer mórbido de matar, incentivado pelos agentes do Estado.

Bolsonaro e seus filhos são incentivadores do ódio, pregam a morte, fazem apologia ao sangue, insuflam a guerra. Honestamente, o general Mourão e a maçonaria ainda são males menores perto do desenho que se esquadrinha.

Ainda bem que o generalato nacional não é fundamentalista evangélico e nem acham que o ponto G é uma invenção do PT.

Aleluia.

Comentar no Facebook

Nina, artes e apliques. Minha filhinha é demais

Nina está em férias. Amanhã a tarde vou no curso de inglês dela, o FISK, onde receberá o boletim de primeiro ano completo. Depois, viemos para Santiago, onde permanece comigo até o dia 27 de dezembro. Como meu sobrinho famoso Guilhes Prates Damian, de São Paulo, foi da revista Veja durante 10 anos, depois iG do Brasil, Nina quer fazer uma entrevista com ele, que é primo dela. Vamos aguardar o que sai. Guilhes veio visitar os pais e familiares, embora venha ao Estado duas vezes no ano, onde leciona no curso de pós-graduação da UPF. Será um encontro de dois primos que adoram desenho. Guilhes é formado em Desenho Industrial pela UFSM, tal era sua paixão pelo desenho.
Comentar no Facebook

E se fossem cachorros? Sobre o culto ao cachorrismo !

Sinceramente, eu adoro cachorros. Sempre tive cachorros, minha filha é uma cachorreira de marca maior. Sou radicalmente contra violência aos animais, tanto que sou uma voz solitária crítica aos rodeios e suas estupidezes.

Agora, me assombra, a cultura dessas guriazinhas e suas bondades. Nunca vi darem um pedaço da pão para um ser humano. nunca vi tratarem as feridas de um ser humano, nunca vi as mãos estendidas aos pobres, mas vejo todas dando água e comida para os cachorros.

Essas apologia ao cachorrismo tem um lado cínico de renegação da vida humana. Sim, vamos cuidar dos animais, mas, ao mesmo tempo, vamos ajudar aos seres humanos pobres e miseráveis na mesma proporção, com o mesmo afeto.

 

Comentar no Facebook